A Divina Criação

Como tudo foi criado por Deus

Criação – o que foi isso? Gênesis 1.1

Criação é o conjunto de todas as coisas existentes. Imagine tudo o que você conhece e mais todas as coisas que você não sabe que existem: isto é a Criação.

Deus foi quem criou todas as coisas. A Bíblia afirma que “no princípio, criou Deus os céus e a terra”. Isso significa que para todas as coisas, sejam elas terrenas ou celestiais, materiais ou espirituais, houve um começo. E tudo veio a partir de Deus. Apenas o Deus Altíssimo não teve começo. Ele é eterno, ou seja, não tem começo e nunca terá fim.

Apenas Deus pode criar

Criar é algo extremamente sublime. Criar significa fazer algo sem haver matéria-prima, sem haver molde e sem haver conceito prévio de algo.

Todas as vezes que o ser humano faz alguma coisa, por mais inovadora que seja, utiliza-se de algo que já exista, seja um material, uma ferramenta, uma ideia ou um conjunto de conhecimentos.

Para Deus não foi assim. Ele criou todas as coisas apenas por Sua própria inspiração. Tudo que há, material e espiritual, foi criado por Deus.

Por que Deus criou?

Por muitas vezes, ao meditarmos sobre este tema, somos levados a pensar que Deus era incompleto ou solitário antes de todas as coisas existirem. No entanto, isto não é verdade. Deus sempre foi completo e perfeitamente feliz.

Mas ainda assim, Ele desejou criar. Ele quis que houvesse a Criação. E assim Ele fez. Esta é uma das tantas razões que há para que o chamemos de Senhor e de Dominador sobre todas as coisas.

O que Deus Criou?

A Bíblia Sagrada narra o processo de Criação que Deus empregou a partir do capítulo 1 de Gênesis, o livro das origens.

Ela descreve que Deus criou a Luz antes mesmo que houvesse elementos que produzissem luz; e criou as águas antes mesmo que houvesse mares, lagos ou rios.

A Criação de Deus abrange o mundo espiritual, o mundo das idéias e o mundo físico. Apesar de podermos interagir diretamente apenas com o mundo físico, nossa vida é primeiramente espiritual. Nossa capacidade de ter sentimentos, percepções, idéias e pensamentos também são frutos da Criação de Deus.

Como aconteceu? Gênesis 1.3 a 2.3

O relato que a Bíblia Sagrada traz, informa-nos que Deus criou tudo que podemos ver em 7 dias. Vejamos a sequência de acontecimentos:

1º Dia:

– Deus criou a Luz;

– Deus fez separação entre a luz e trevas;

– Deus estabeleceu o Dia e a Noite.

2º Dia:

– Deus criou uma expansão entre as águas e a chamou de Céus.

3º Dia:

– Deus juntou as águas abaixo da expansão (Céus) e criou a porção seca entre elas.

   À porção seca, Ele chamou Terra e ao ajuntamento das águas, Mares;

– Deus criou na terra todo tipo de plantas, árvores e ervas.

4º Dia:

– Deus criou os luminares no céu para alumiar a terra. Criou o Sol para reger o dia e a Lua para reger a noite. Deus criou também as demais estrelas e corpos celestes.

5º Dia:

– Deus criou todo o tipo de vida aquática e as aves; e Deus os abençoou.

6º Dia:

– Deus criou os animais terrestres;

– Deus criou o homem do pó da terra conforme Sua imagem  e pôs nele espírito de vida e o homem tornou-se alma vivente;

– Deus abençoou o homem e o pôs para dominar sobre aves, animais e a terra.

7º Dia:

– Deus finalizou Sua Obra;

– Deus viu que tudo quanto havia criado, era bom;

– Deus descansou de Seu trabalho e abençoou e santificou o dia sétimo.

Adão: o primeiro homem e Eva, a esposa que Deus criou

Vimos que Deus criou o homem por último em Sua Criação. Ao homem, Deus deu uma atenção especial. Deus o fez conforme a Sua Imagem e Semelhança, isto significa que o homem e a mulher carregam em si os atributos da imagem de Seu Criador. O homem pode ter sentimentos, idéias, pensamentos, desejos. Além de tudo, possui um intelecto e domina sobre os animais e sobre as plantas.

Deus criou Adão do pó da terra (Gênesis 2.7) e o pôs num lugar chamado de Jardim do Éden. Adão tinha a incumbência de nomear e dominar sobre todas as demais coisas. No entanto, Deus viu que Adão estava só nesta tarefa e, a partir de uma de suas costelas, fez para Adão uma esposa, para que estivesse ao seu lado o ajudando na incumbência dada por Deus. Adão a chamou de Eva (Gênesis 3.20).

Deus tinha uma comunhão muito próxima com o Adão e Sua Criação

A Bíblia diz que Deus plantou um Jardim chamado Éden. Neste jardim, havia todo tipo de planta frutífera, agradável à vista e boa para comida (Gênesis 2.9). Havia também, no meio do jardim a árvore da vida e a árvore do conhecimento do bem e do mal.

Deus pôs Adão para viver neste lugar perfeito e mantinha uma comunhão com ele. Ao final de todos os dias, Deus vinha conversar com Adão (Gênesis 3.8a).

O limite que Deus pôs para Adão

Deus, como o pai de Adão, o pôs responsável por tudo que havia criado, porém, pôs um limite a Adão: ordenou que não comesse, nem tocasse, no fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal – Gênesis 2.17 e 18.

Adão e Eva desobedecem a Deus e rebelam-se contra o Criador – Gênesis 3.1-7.

satanás, que já havia se feito inimigo de Deus, fez-se também inimigo de tudo que carregava a imagem de Deus. Por isso, fez-se inimigo do homem que Deus criara. Utilizando-se de uma serpente, abriu diálogo com Eva para que esta tomasse do fruto que Deus havia proibido de ser comido.

Através de argumentos enganosos, satanás tenta Eva para que tome do fruto que Deus havia expressamente proibido de ser comido. O diabo diz a Eva que ela seria igual a Deus se ela comesse do fruto.

Eva toma o fruto, o come, e o leva a Adão, que também o come.

Apesar de parecer uma simples desobediência, este ato expressa muito mais do que comumente temos a tendência de perceber.

Ao comerem do fruto que Deus havia proibido, Adão e Eva estavam, com consciência, cometendo as seguintes coisas:

– Indo contra o que Deus, Aquele que os havia Criado e cuidado desde sempre, havia expressamente ordenado.

– Querendo ser iguais ao Deus Criador que fez todas as coisas.

– Rejeitando ser submissos ao Deus que havia criado tudo.

– Desejando conhecer o que havia além do bem: o mal.

– Dando mais valor ao que a serpente havia dito do que ao que Deus havia ordenado.

– Recusando ter um relacionamento de comunhão com Deus.

– Aliando-se a quem havia feito rebelião contra Deus.

O ser humano, a partir de então, havia tomado um rumo diferente daquele que Deus havia desejado para ele. Deus queria ter um relacionamento com o homem, mas este, o rejeitara.

A consequência da rebelião: o pecado, a separação de Deus.

A partir do momento que Adão e Eva rebelaram-se contra Deus, eles perderam o direito de ter a comunhão com Ele.

A rebelião de Adão e Eva atinge tudo que estava sob seu domínio. Lembre-se: Deus havia posto Adão sob o domínio de toda terra e de todos os animais.

Com isso, tanto o homem, quanto aquilo que estava sob o seus cuidados, passam a experimentar uma existência sem a presença de Deus. E isto gerou as seguintes consequências:

– não viveriam mais no Jardim do Éden (Gênesis 3.23);

– a terra tornou-se maldita por conta da rebelião de Adão e Eva e através de sofrimento eles comeriam do fruto da terra (Gênesis 3.17);

– a terra passaria a produzir cardos e espinhos (Gênesis 3.18);

– seria necessário lavrar a terra para que esta desse seu fruto (Gênesis 3.23);

– o seu sustento seria obtido através do suor do seu rosto (Gênesis 3.19);

– as mulheres teriam dor para ter seus filhos (Gênesis 3.16);

– por fim, a partir daquele momento, o homem passaria a ser mortal e voltaria ao pó da terra (Gênesis 3.19).

A separação que ocorreu entre Deus e o homem ocasionou grandes e terríveis consequências. Adão e Eva geraram descendentes que carregaram os mesmos traços de rebeldia contra Deus. É por isso que até os dias de hoje, todos nós nascemos com curiosidade para o mal e com vontade de sermos nossos próprios donos, sem ter que nos preocupar em obedecer ou nos submeter a alguém.

A consequência que atingiu a Adão e Eva, também nos atinge até hoje: viver sem a presença de Deus e todos os males decorrentes disso.

Deus, porém, intervem com amor e promete a Solução!

Apesar de toda a rebeldia de Adão e Eva, Deus, que é amoroso e misericordioso, promete algo que o homem não merecia: uma reconciliação.

Deus promete que haveria Um que poria fim ao desatino causado pela separação entre Deus e o homem e promete que satanás seria vencido e humilhado (Gênesis 3.15). Que maravilhosa promessa!

A humanidade segue caída, mas com a promessa de Deus.

Depois destes acontecimentos, Adão e Eva passam a viver fora do Jardim do Éden e o tempo começa a ser contado.

Adão e Eva têm seus filhos e a humanidade se multiplica, porém, separada de Deus e sempre carregando as consequências disso – Gênesis 4.1 em diante.

Conclusão

Deus criou todas as coisas perfeitas e agradáveis (Gênesis 1.31). E tudo que havia sido criado era muito bom. O homem, porém, escolheu rebelar-se contra Deus e aliou-se ao inimigo de Deus ao fazer isso. Como consequência, o homem passou a viver fora da vontade de Deus e separado da comunhão com Ele. Por conta disso, a terra tornou-se maldita e todo tipo de maldade passou a habitar no coração do homem, pois este teve curiosidade em conhecer o mal.

Entender que a condição humana é essencialmente má é tanto esclarecedora, quanto atemorizadora e angustiante. Mas Deus prometeu a solução! Como é maravilhoso compreender que Deus, Aquele que poderia ter exterminado o ser humano quando errou, preferiu criar um plano para salvar aquilo que havia se perdido!

Deus prometeu uma solução para a humanidade caída!

CONTINUE LENDO:

CONTINUE LENDO: